Com um novo ano, surgem novas tendências no mundo do comércio eletrônico. De tecnologias inovadoras a novos canais de vendas, aqui estão 7 das principais tendências de varejo para acompanhar em 2020.

1. Compras com RA

O futuro é agora: realidade aumentada (RA), aprendizado de máquina e inteligência artificial (IA) estão aqui para ficar. Os varejistas estão aproveitando a tecnologia para preencher a lacuna entre o digital e o físico.

2. Personalização do produto

Os produtos únicos são um símbolo clássico do luxo: ter algo que mais ninguém no mundo tem.

As lojas de comércio eletrônico estão oferecendo opções para personalizar sua compra, de monogramas e bordados a esquemas de cores exclusivos.

A personalização permite que compradores adquiram um produto adaptado especificamente às suas necessidades e estilo.

3. Pesquisa visual

Outra tendência de varejo movida a IA, a pesquisa visual permite que os compradores encontrem um produto apenas tirando uma foto. A IA trabalha sua mágica para identificar o produto (ou similares) em vários sites com apenas um clique.

O recurso Lens do Pinterest , por exemplo, usa a tecnologia AI e a câmera no aplicativo Pinterest para procurar pins visualmente semelhantes.

4. Experiências Omnichannel

A ascensão do omnichannel certamente continuará em 2020, então os varejistas precisam oferecer uma experiência de compra consistente em todos os canais, tanto online quanto offline.

“À medida que as linhas entre as experiências de compra digital e física se aproximam, os varejistas precisam ter agilidade e responder às necessidades dos clientes com pontos de contato de marca em todas as partes da jornada de compra“, nos conta Marília Tannuri Verni, CEO há 11 anos do e-commerce de moda e sapato infantil.

5. Entrega no mesmo dia

No que diz respeito às compras on-line, parece que as expectativas dos clientes quanto ao tempo de envio estão cada vez mais rápidas. Primeiro veio a entrega em 2 dias, depois no dia seguinte. Mas, na era da gratificação instantânea, os compradores desejam seus pedidos o mais rápido possível.

Desde o Prime Air, da Amazon, que usa a tecnologia drone para entregar pedidos dos compradores em 30 minutos ou menos, até o surgimento de startups de robôs de entrega, a entrega está ficando cada vez mais rápida.

6. Compras sociais

O comércio eletrônico e as mídias sociais estão se entrelaçando. As postagens e as histórias do Instagram que podem ser compradas em lojas decolaram nesse ano.

Sabemos que os consumidores são fortemente influenciados pelo que veem nas mídias sociais; poder comprar diretamente em sua plataforma social de escolha é o próximo passo lógico no comércio omnichannel.

7. Marcas éticas e baseadas em valores

Os compradores estão avaliando cada vez mais produtos e marcas com base na ética e nos valores de uma empresa. Os consumidores estão se tornando cada vez mais conscientes.

Oferecer transparência genuína e se posicionar sobre questões éticas, quando bem feito, pode criar lealdade e confiança duradouras.

8. Vitrines virtuais que permitem compra pelo celular

Vitrines virtuais que simulam prateleiras de supermercado estão chegando ao Brasil. Colocadas em locais públicos de grande circulação, os painéis mostram as imagens dos produtos com um código de barras. Ao posicionar o celular em frente ao código, o consumidor é direcionado à loja virtual da empresa, onde o item é adicionado a sua compra. O pagamento é feito por cartão de crédito no próprio celular e os produtos são entregues em casa horas depois.

No início de julho, o supermercado Pão de Açúcar lançou uma vitrine com mais de 300 itens no Shopping Cidade Jardim, na capital paulista. Em setembro de 2011, no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, o Submarino colocou painéis virtuais na sala de embarque com produtos como livros e eletrônicos.

A tecnologia usada não é novidade. As imagens dos produtos carregam um código de barras chamado QR code, que pode ser identificado pela maioria dos celulares com câmera fotográfica para redirecionar o acesso ao site da loja. A inovação das vitrines está na aplicação desses códigos.

Já o aeroporto Santos Dumont foi escolhido pelo Submarino pela boa conexão à internet (3G e Wi-Fi) e por ser um lugar onde as pessoas se sentem confortáveis para usar seus smartphones. Nas salas de embarque, a varejista colocou painéis com produtos que variam de acordo com a estratégia de cada marca, mas sempre com foco em lançamentos. Há painéis que vendem eletrônicos, como câmeras digitais, filmadoras, notebooks e tablets, e outras vitrines focadas em livros, CDs e DVDs. Todos os itens possuem um QR code.

FONTE:  https://exame.abril.com.br/negocios/releases/10-tendencias-de-varejo-para-2020/
FONTE: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2012/08/vitrines-virtuais-que-permitem-compra-pelo-celular-chegam-ao-brasil.html