A ideia é transformar o PDV em um PDX, ou, Ponto de Experiência e investir em valores como acolhimento, proximidade, atenção ao ambiente, ações inclusivas e empatia.

Muito tem-se falado sobre o fim do varejo e das lojas físicas por conta das novas tecnologias que vêm sendo desenvolvidas. Mas a loja física não vai acabar. Sabe por quê? De um lado porque é nesses locais que o consumidor moderno se socializa, encontra humanização e sensibilidade. A loja física vai se adaptar às mudanças que se apresentam por meio da tecnologia e, mais, ao utilizá-la de forma adequada, pode agregar muito valor ao seu negócio e maximizar resultados. Na NRF 2019, maior evento varejista dos EUA, as principais tendências identificadas refletem essa busca: propósito da marca alinhado às ações, diversidade, personalização, omnichannel, inclusão e empoderamento do consumidor, experiência e convivência.

A ideia é transformar o PDV em um PDX, ou, Ponto de Experiência e investir em valores como acolhimento, proximidade, atenção ao ambiente, ações inclusivas e empatia, entre outros. Esses tópicos são os mais relevantes na decisão dos shoppers do futuro, e o varejo físico deve atentar-se a eles. Mas como entender o que o meu cliente gostaria de vivenciar na loja?

A ideia é entender o mais fundo possível quem é este shopper, como se comporta quando vai às compras, o que pensa e como age durante a compra, sua missão de compra, as motivações que explicam tais comportamentos, as razões da compra e não compra, sua jornada nos diferentes pontos de venda, seu processo de tomada de decisões, etc.

Confira algumas dicas do que você pode fazer no PDV, com o apoio da tecnologia ou não, para entender melhor o comportamento do shopper.

  1. Realização de entrevistas no PDV, dentro ou na saída das lojas. Aqui você pode entender o motivo das escolhas, critérios utilizados, hábitos de compra e consumo.

  2.  Compra acompanhada, desde a casa do consumidor ou apenas dentro da loja. Neste caso, você poderá entender o processo de compra do shopper, escolha de categorias e marcas.

  3. Filmagem no PDV. Por meio desta técnica, você poderá fazer uma análise do comportamento do shopper no ato de compra, aliando a uma possível entrevista após a compra.

  4. Eye Tracking, uso de óculos que permitem saber para onde o shopper direciona seu olhar na loja ao longo de todo seu processo no PDV. De acordo com empresas que utilizam esta tecnologia, é possível conhecer o que é realmente atrativo para o shopper no PDV.

  5. Análises das transações, informações de check-out e dados de programas de fidelidade, ou utilização de ferramentas de CRM. Isso pode ajudar a registrar dados dos clientes e entender perfil de compra, potencial para promoções, vendas cruzadas, entender a origem desses clientes, ou seja, como chegaram até você e uma série de outras possibilidades.

Seja qual for a sua escolha, das mais tradicionais às mais sofisticadas, tenha clareza no objetivo da pesquisa, na escolha da metodologia e técnicas de coleta, nas medidas a serem testadas e na qualidade do desenho amostral. Assim, a sua loja poderá entender cada vez melhor o comportamento do shopper e orientar suas ações a partir destas características observadas, coma  tendência de aumentar suas vendas e resultados.

FONTE: https://www.mundodomarketing.com.br/artigos/fatima-merlin/38311/5-dicas-para-entender-o-comportamento-do-novo-shopper-no-pdv.html